Governo diz que Portugal tem margem para continuar a investir nas renováveis

JSCArtigo dezembro 03, 2015
Governo diz que

Secretário de Estado da Energia, Seguro Sanchez, destaca poupança de 5,3 mil milhões de euros na poupança de combustíveis fósseis.

“Temos margem para continuar a investir no sector das renováveis. É um desígnio nacional e uma obrigação do país que nos une a todos”, defendeu o secretário de Estado da Energia, Seguro Sanches, durante o Congresso da Associação Portuguesa de Empresas Renováveis (APREN), que decorre no Estoril.

“O modelo sustentado nas energias fósseis está esgotado. Este desafio não pode ser interrompido em Portugal. Tem que ser retomado”, sublinhou o governante naquela que é a sua primeira intervenção pública desde que o Governo de António Costa tomou posse.

Seguro Sanches destacou ainda o papel das renováveis nas poupanças de 5,3 mil milhões de euros obtidas, entre 2010 e 2013, com as importações de combustíveis fósseis, bem como a criação de 40 mil postos de trabalho, a par das exportações de 300 milhões de euros realizadas pelas fábricas do sector.

A estratégia nacional de aposta nas energias renováveis permitiu, nos últimos anos, reduzir a dependência energética de origem fóssil de 85% para 72%.

Em 2020, Portugal terá que usar cerca de 31% de energia renovável. Uma meta que implica que 60% seja a partir de electricidade.

“Hoje, esse valore é de 52%. Temos cinco anos para fazer os restantes 7% nos próximos cinco anos”, afirmou o presidente da Associação Portuguesa das Empresas Renováveis, Sá da Costa.

“É fácil e há vontade para cumprir esse objecto”, reforçou Sá da Costa.

Fonte: Económico, Ana Maria Gonçalves

Voltar
A JSC usa cookies para melhorar a navegação dos seus utilizadores. Ao navegar este site aceita a nossa política de cookies.